Quem você será no futuro é sua responsabilidade

Temos falado muito sobre o futuro da área comercial. O que vai mudar no mercado, quais serão os cargos e as habilidades com maior demanda e como se preparar para um tempo que será marcado por mudanças radicais.
Assim, entender o que pode acontecer “amanhã” é fundamental para que possamos nos preparar.  Mas e quando o assunto é o futuro no que diz respeito à sua personalidade?
Dan Gilbert, professor de psicologia na Universidade de Harvard, tem uma teoria interessante sobre como o ser humano lida com o tempo, com as consequências das ações tomadas no passado e com as expectativas para o futuro. “Todos nós estamos andando por aí com a ilusão de que a nossa história pessoal acabou de chegar ao fim, que recentemente nos tornamos a pessoa que estávamos destinados a ser, e seremos assim pelo resto de nossas vidas”, reflete.
Para ele, isso acontece porque enquanto temos facilidade para lembrar, temos dificuldade para imaginar… “A maioria de nós consegue lembrar quem era há 10 anos, mas tem dificuldade para imaginar quem será em 10 anos. Então, pensamos erroneamente que porque é difícil de imaginar, é improvável que aconteça. Quando as pessoas dizem: ‘Não consigo imaginar’, normalmente estão falando de sua própria falta de imaginação, não da improbabilidade do evento que estão descrevendo”, explica.
Quem você será no futuro é sua responsabilidade

Mudar é preciso

A teoria é interessante para exemplificar por que empresas que um dia foram fortes deixam de ser relevantes com o passar dos anos e por que profissionais que um dia tiveram destaque perdem espaço. A velha máxima de que “é assim que faço porque é assim que sempre fiz” se torna mais perigosa a cada dia. Se as tendências apontam para mudanças drásticas na dinâmica da área comercial, é fundamental entender que a mudança é um componente que sempre vai existir.
Não foi ao acaso que a nossa primeira recomendação para se preparar para a área comercial do futuro foi: “aceitar e se preparar para as mudanças antes que elas ocorram”. É fato que sair da zona de conforto é um desafio para muitos de nós. Porém, aceitar que mudar é algo difícil demais para ser feito não é uma escolha de quem deseja se manter relevante.
Nesse sentido, o primeiro passo é fazer uma autoanálise, olhar para trás e ver como você, seus gostos e suas preferências mudaram nos últimos 10 anos. Sabendo disso, tenha uma postura proativa para conduzir as mudanças que, invariavelmente, vão acontecer em sua vida nos próximos 10 anos. “A questão é que o tempo é uma força poderosa. Ele transforma nossas preferências, reformula nossos valores, altera nossas personalidades. Parece que apreciamos isso, mas somente em retrospecto. Só quando olhamos para trás percebemos quanta mudança ocorre em uma década. Para a maioria de nós, é como se o presente fosse um tempo mágico. É um divisor de águas na linha do tempo. É o momento em que finalmente nos tornamos nós mesmos. Os seres humanos são obras em progresso, que equivocadamente pensam que estão prontos. A pessoa que você é agora é tão transiente, tão fugaz e tão temporária quanto todas as pessoas que você já foi. A única constante em nossa vida é a mudança”, finaliza Gilbert.
E você, como lida com as mudanças e como está construindo o seu “eu” do amanhã? Assista à palestra de Dan Gilbert no TED em que ele fala sobre a psicologia do seu futuro “eu” e continue a reflexão.

 
Sucesso hoje, amanhã e sempre!
Leia também
http://www.foursales.com.br/carreira/armadilhas-que-atrapalham-a-evolucao-na-carreira/
 



Leave a Reply