Você já pensou em contratar um estagiário de 40 anos?

Em pleno crescimento, uma startup de e-commerce contrata um estagiário de 40 anos. Todo mundo na empresa é mais novo que ele – incluindo a CEO e fundadora da loja online. Mesmo assim, o coroa consegue inspirar a todos da equipe, dando suporte emocional, dicas de como balancear o trabalho e a vida pessoal e contribuindo com a sua vasta experiência profissional.
Esse é o roteiro do filme Um senhor estagiário, um enredo de ficção que tem sido cada vez mais comum na vida real.
JP Morgan, Goldman Sachs, IBM, Intel e GM são apenas algumas das corporações que já perceberam as vantagens de se contratar estagiários seniores, com mais de 40 anos.
A seguir, saiba mais sobre a tendência de contratar profissionais que haviam suspendido suas carreiras por algum tempo e estão retornando ao mercado de trabalho, entenda as vantagens desse tipo de contratação e aprenda como sua empresa deve avaliar candidatos com esse perfil.

O potencial dos profissionais que estão retornando ao mercado de trabalho

Cuidar dos filhos, tratar problemas de saúde, dedicar atenção especial de algum membro da família ou tirar um período sabático são alguns dos motivos que fazem profissionais suspenderem suas carreiras. Porém, depois de um período – e de terem concluído as “tarefas” que os fizeram sair de cena –, é comum que eles queiram retornar ao mercado de trabalho.
Às vezes, isso acontece inclusive com quem já tinha oficializado sua aposentadoria!
Nessa retomada da carreira, esse grupo pode encontrar alguns desafios (falamos sobre eles neste artigo), mas eles também podem ser uma fonte de conhecimento e experiência muito relevante para as empresas.
Sabendo disso, muitas organizações estão desenvolvendo programas para facilitar essa retomada, inclusive oferecendo oportunidades de jornadas de trabalho reduzidas, para facilitar a (re)entrada do profissional no ambiente corporativo – exatamente como em um estágio, só que voltado a profissionais mais velhos, que estão relançando suas carreiras após ficarem um período sem trabalhar. Afinal, é um verdadeiro recomeço.
Carol Fishman Cohen, CEO da iRelaunch, consultoria especializada na criação de programas para recolocação no mercado de trabalho, destaca que esse tipo de iniciativa não é interessante apenas para as pessoas que estão voltando ao trabalho, mas também para as organizações.

Ela conta que, durante os quatro anos em que comandou conferências de retorno ao trabalho, todos os participantes tinham diploma universitário, 75% tinham pós-graduação e 75% haviam trabalhado por pelo menos 10 anos antes de suspenderem suas carreiras. Ou seja, nesses grupos estavam profissionais altamente qualificados e com bastante experiência.
Esses candidatos, frisa Carol, oferecem uma oportunidade rara às empresas:

  • Permitem que a organização contrate pessoas que possuem um nível de maturidade e experiência não encontrada em profissionais mais jovens.
  • Estão em um estágio de vida mais estável, em que provavelmente não precisarão deixar o trabalho para cuidar de filhos ou porque o parceiro foi realocado para uma outra região, por exemplo.
  • Possuem grande motivação e entusiasmo justamente porque estão tendo a oportunidade de voltar ao trabalho.

“Em suma: eles são um excelente investimento”, salienta a especialista, cuja palestra no TED tem mais de 1,6 milhões de visualizações.

Programas de estágio para profissionais seniores

A consultora ressalta que desenvolver programas de estágio para pessoas que estão relançando suas carreiras (o que ela chama de returnship: returning + internship), permite que as empresas tenham acesso a grandes talentos e possam tomar decisões de contratação com base em amostras de trabalho significativas.
Em entrevista exclusiva à equipe de Jornalismo da Foursales, Carol comentou que esses programas têm ganhado destaque nos últimos anos, inclusive com a participação de universidades, incentivando antigos estudantes que pararam de trabalhar a voltarem a estudar e se recolocar no mercado.
Um dos programas mais antigos nesse sentido é o Daphne Jackson Memorial Fellowships Trust, na Inglaterra, que ajuda cientistas e engenheiros a voltarem ao trabalho após um tempo fora do mercado. Neste programa, 96% dos participantes conseguem ser efetivados após o período de estágio.
“Ironicamente, antes, se você tivesse um período de pausa longa na carreira, seu currículo seria deixado de lado. Mas agora, com grandes corporações adotando returnships, seu currículo não será selecionado a não ser que você tenha parado de trabalhar e esteja retomando sua carreira”, reflete.
Ela destaca ainda que suspender a carreira por um tempo deve se tornar uma tendência nos próximos anos. Em pesquisas com profissionais millennials, Carol descobriu que essa geração contempla no futuro passar um período fora do mercado. Então, as empresas precisam se adaptar para atender a demanda atual e futura de candidatos com esse perfil.

Como avaliar esses profissionais no recrutamento

Carol indica que é comum muitas empresas terem receio de contratar profissionais que estão há muito tempo sem trabalhar. E é justamente por isso que os programas de estágio para esses candidatos podem ser uma excelente ferramenta de seleção.
A especialista destaca que esse tipo de iniciativa permite que o recrutador possa avaliar o real potencial de trabalho atual do profissional por meio de experiências práticas no dia a dia da empresa.
Durante o processo, Carol recomenda que as seguintes questões sejam avaliadas:

Esses candidatos fizeram uma avaliação das suas carreiras?

É importante que os candidatos seniores tenham refletido sobre o seu retorno ao mercado de trabalho e sobre o que realmente desejam fazer nesta nova fase. Se querem voltar a atuar na mesma área ou se estão prontos para se lançar em novos desafios, por exemplo.

O que eles têm feito para se atualizar?

Procure evidências que o candidato tem se esforçado para se manter atualizado. Podem ser encontrados indícios nesse sentido em certificados de cursos online ou presenciais, participação em eventos ou trabalho voluntário.
Ao analisar questões como estas, você aumenta as chances de encontrar um estagiário de 40 anos pronto para ajudar sua empresa e voltar a ser feliz profissionalmente. Que tal?
Participe do debate!

  • Você conhece algum programa parecido feito por alguma empresa brasileira?
  • Tem interesse em aprender mais sobre esse tipo de iniciativa?
  • De que forma você acredita que as empresas podem se beneficiar com a contratação de profissionais experientes que estão retornando ao mercado?

Deixe um comentário com sua opinião ou dúvida e participe do debate!



Leave a Reply