As previsões do Fórum Econômico Mundial sobre o futuro do trabalho

Publicado em Categoria(s) Carreira, Tendências, Tendências
o futuro do trabalho

A tecnologia e as mudanças políticas e sociais sempre impulsionaram transformações no ambiente e nas relações de trabalho. No entanto, as recentes mudanças têm acontecido de forma cada vez mais rápida.

Em muitas indústrias e países, algumas das principais ocupações ou especialidades de hoje não existiam há 10 anos ou mesmo há cinco anos.

E a tendência é que a velocidade das transformações só aumente.

Estudos apontam que 65% das crianças entrando no primário hoje estarão trabalhando em uma função completamente nova no futuro, que não existe atualmente.

Mas como acompanhar essas mudanças e continuar relevante no mercado de trabalho?

Nós acreditamos que, o primeiro passo, é entender as transformações pelas quais o mundo está passando e também as tendências que estão por vir.

Neste artigo, vamos explorar as informações de uma pesquisa global realizada pelo Fórum Econômico Mundial que mostra quais são os principais fatores que estão transformando o mercado e que devem impulsionar ainda mais mudanças nas profissões no futuro.

  • Ao final, tenha acesso a mais conteúdos que ajudarão você a se preparar para o futuro da área comercial.

Os fatores que impulsionarão as mudanças nas profissões do futuro

O relatório The future of Jobs (“O futuro dos trabalhos”, em tradução livre), realizado pelo Fórum Econômico Mundial, foi criado a partir de entrevistas com mais de 13 milhões de profissionais de nove grandes setores, em 15 mercados emergentes e desenvolvidos.

O estudo conseguiu identificar os grandes fatores de mudanças nas profissões da atualidade e que também devem impactar em transformações futuras.

o futuro do trabalho

Os principais fatores demográficos e socioeconômicos de mudança nos empregos identificados no estudo foram:

  • Mudanças no ambiente de trabalho e acordo flexíveis de trabalho – 44%
  • Crescimento da classe média em mercados emergentes – 23%
  • Mudanças climáticas e escassez de recursos naturais – 23%
  • Aumento na volatilidade geopolítica (mudanças nas barreiras geográficas) – 21%
  • Maior interesse do novo consumidor em relação a questões éticas e de privacidade – 16%
  • Longevidade e envelhecimento da população – 14%
  • Populações mais jovens em mercados emergentes – 13%
  • Aumento das aspirações e do poder econômico das mulheres – 12%
  • Rápida urbanização – 8%

Já em relação às principais tecnologias que devem impulsionar as mudanças no futuro o trabalho, essas foram as indicações apontadas no estudo:

  • Internet móvel e tecnologia em nuvem – 34%
  • Crescimento no poder de computação e Big Data – 26%
  • Novas fontes e tecnologias de energia – 22%
  • Internet das coisas – 14%
  • Crowdsourcing e economia de compartilhamento – 12%
  • Robótica avançada e transportes autônomos – 9%
  • Inteligência artificial – 7%
  • Produção avançada e impressão 3D – 6%
  • Materiais avançados, biotecnologia e genômica – 6%

No Brasil, ao todo, esses foram os fatores impulsionadores de mudança no trabalho identificados no relatório:

  • Crescimento da classe média em mercados emergentes – 45%
  • Mudanças no ambiente de trabalho e acordo flexíveis de trabalho – 42%
  • Crescimento no poder de computação e Big Data – 27%
  • Novas fontes e tecnologias de energia – 27%
  • Internet móvel e tecnologia em nuvem – 24%
  • Mudanças climáticas e escassez de recursos naturais – 21%
  • Crowdsourcing e economia de compartilhamento – 18%
  • Maior interesse do novo consumidor em relação a questões éticas e de privacidade – 12%

Tendências na demanda de empregos

Todas essas transformações devem ter impacto diretamente a demanda de trabalho em diferentes áreas. Segundo o estudo do Fórum Econômico Mundial:

  • Até 2020, haverá uma queda de mais de 7.1 milhões de empregos devidos a mudanças no mercado;
  • Destes, ⅔ estão concentrados em funções de escritório e áreas administrativas.

Um exemplo de emprego que deve se tornar obsoleto, de acordo com o estudo, é o da área de Atendimento ao Consumidor – por conta do crescimento no uso da tecnologia móvel como canal de relacionamento com o cliente.

  • Por outro lado, deve haver um ganho de 2 milhões de empregos nas áreas relacionadas à Computação e Matemática e Engenharia e Arquitetura.

Nesse sentido, o relatório aponta duas atividades que deverão ter destaque e uma demanda cada vez maior no mercado:

  • Analista de dados: as organizações precisarão de especialistas para organizar e interpretar a quantidade (cada vez maior) de dados disponíveis em relação ao negócio, ao mercado e aos clientes.
  • Vendedores especializados: as empresas precisarão de profissionais especialistas para poder se posicionar no mercado de forma estratégica, conseguindo atrair públicos específicos – seja para se destacar da concorrência, para apresentar com eficiência inovações ao mercado, ou as duas coisas ao mesmo tempo.

Como a sua empresa ou você, como profissional, tem se preparado para esse cenário futuro que já começa a se formar?

Quer aprender mais sobre o futuro da área comercial e saber como se preparar para as mudanças pela qual o mercado está passando e ainda vai passar nos próximos anos? Leia os artigos listados a seguir:

* Leia o relatório complete do Fórum Econômico Mundial (em inglês).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *