Como fazer uma boa gestão de talentos na era digital

Publicado em Categoria(s) Alta performance, Carreira, Gestão Comercial, Liderança, RH, Tendências
Como fazer uma boa gestão de talentos na era digital

Inteligência artificial, internet das coisas, big data, realidade virtual e aumentada, mobile, robótica… Com tantas tecnologias evoluindo de maneira cada vez mais rápida, e transformando diferentes mercados, áreas e processos, um dos grandes desafios dos gestores é acompanhar essas movimentações e adaptar as organizações para as mudanças atuais e futuras.

É importante entender que quando se fala em preparar a empresa para as transformações do mercado, muito mais do que a adoção de novas tecnologias, a gestão dos talentos na era digital é o passo mais importante.

Para conseguir gerenciar os colaboradores de forma efetiva, os líderes precisam promover mudanças na cultura organizacional, nas estratégias de recrutamento e na forma de gerir e desenvolver os talentos. Saiba mais a seguir!

Verdades sobre gestão de talentos na era digital

O relatório Ten Absolute Truths About Talent Management in Digital Business (Dez verdades absolutas sobre gestão de talentos em negócios digitais), desenvolvido pela Gartner, revela o que líderes precisam fazer para criar estratégias de gestão de talentos que ajudem a dar a agilidade e a diversidade necessárias para atuar no contexto atual e futuro do mercado.

Apesar de focar na área de TI, o levantamento indica informações muito relevantes para gestores de RH e de todas as áreas administrarem os talentos de forma mais efetiva na era digital.

Em uma série de dois artigos, iremos explorar cada uma das 10 diretrizes apontadas no relatório.

A seguir, confira as quatro primeiras verdades sobre gestão de talentos na era digital:

Verdade nº 1: Uma visão inspiradora e uma estratégia de negócios digital claramente definida devem orientar todas as decisões relacionadas à organização e seus profissionais.

Antes de qualquer ação, a empresa deve se preocupar em criar uma visão clara e inspiradora sobre como ela espera que novas tecnologias e ferramentas possam ajudá-la a gerar mais valor para os profissionais e para os clientes e, assim, adquirir mais vantagem competitiva no mercado. É essa visão que vai guiar as ações do negócio e também a gestão de talentos dentro da organização.

Ações recomendadas:

Crie uma visão de negócio para o futuro, levando em conta que as evoluções tecnológicas devem impactar ainda mais as operações de sua empresa nos próximos anos. Isso vai ajudá-lo a entender os perfis de profissionais que a empresa precisa para se preparar para esse cenário cada vez mais digital.

Leia também: Como garantir metas de longo prazo na sua empresa?

Como fazer uma boa gestão de talentos na era digital

Verdade nº 2: Mentalidade e competências digitais, não habilidades técnicas, conduzem a alta performance no mercado digital.

Um dos grandes erros que as empresas cometem é focar apenas nas ferramentas tecnológicas, deixando de lado algo muito mais importante: o alinhamento dos profissionais com o mindset da era digital.

É crucial ter colaboradores que tenham não apenas know-how técnico mas também entendam como conectar os benefícios das tecnologias com as necessidades e demandas do mercado e dos clientes.

Nesse sentido, a Gartner aponta 12 competências cruciais para os profissionais da era digital:

  • Responsabilidade;
  • Adaptabilidade;
  • Visão de negócio;
  • Colaboração/ trabalho em equipe;
  • Pensamento conceitual;
  • Determinação;
  • Alfabetização digital;
  • Mindset global;
  • Inovação;
  • Abertura para aprender;
  • Orientação para resultados;
  • Assunção de risco.

Ações recomendadas:

Realize análises com profissionais de todas as áreas para identificar as principais forças e as falhas críticas no perfil dos talentos da sua empresa. A partir daí, desenvolva um processo de desenvolvimento de talentos baseado nas competências necessárias para sua empresa alcançar o sucesso na era digital.

Leia também: Inteligência digital: A inteligência do futuro

Verdade nº 3: A era digital demanda uma mudança nos processos de liderança: de comando e controle para permissão e colaboração.

Em muitas áreas de negócios, as estruturas de liderança hierárquica tradicionais não fazem sentido na era digital. Ao invés de controlar e comandar, os líderes precisam adotar uma cultura que possibilite a colaboração coletiva e dê mais autonomia aos profissionais – incentivando a tomada de riscos e a inovação.

O estilo de liderança hierárquica tradicional funciona assim:

estilo de liderança hierárquica tradicional

Já o novo modelo de liderança colaborativa acontece em redes interconectadas. Assim:

liderança colaborativa

Ações recomendadas:

Determine quais são as mudanças necessárias para sua empresa adotar com sucesso um modelo de liderança mais colaborativo. Leve em consideração essas questões para desenvolver uma nova cultura e mentalidade na organização e também no recrutamento dos profissionais.

Assista ao vídeo: A ciência por trás da liderança de alta performance

Verdade nº 4: Agilidade é o principal elemento para preparar a organização e mobilizar os profissionais para a era digital.

“A velocidade dos avanços do presente não tem precedentes históricos, as mudanças atuais estão evoluindo de maneira exponencial, em vez de linear”, destaca Klaus Schwab, fundador e presidente executivo do Fórum Econômico Mundial.

Neste cenário, um dos principais desafios das empresas é acompanhar a velocidade das transformações digitais. Adotar um estilo de gestão menos centralizador, que dá mais liberdade e autonomia para os profissionais, é um passo crucial para dar mais agilidade às organizações.

Ações recomendadas:

Identifique os principais elementos necessários para criar uma estrutura organizacional mais adaptativa e com a agilidade necessária para alinhar-se continuamente com as demandas em evolução.

Leia também: A mais importante (e ignorada) característica da liderança de alta performance

Como você pode perceber, a era digital exige das empresas uma nova visão na forma de recrutar, selecionar e desenvolver os profissionais. Mas ainda há muito o que aprender sobre isso!  

Bem por isso, publicamos a segunda parte desta análiseque aborda os seguintes temas:

  1. Ter profissionais com diferentes conhecimentos e experiências ajuda a dar mais versatilidade e agilidade ao trabalho da organização.
  2. Força de trabalho diversificada gera ideias diferentes e soluções inovadoras.
  3. Empresas digitais precisam ter um ambiente de trabalho que impulsione o engajamento e a eficiência dos funcionários.
  4. Uma parceria entre as áreas de RH e TI é essencial para unir talentos e inteligência de negócios para criar vantagem competitiva na era digital.
  5. A gestão de talentos deve abraçar o “social” para cultivar a expertise digital.
  6. As equipes devem ser recompensadas com base no trabalho em equipe e na contribuição de valor para o negócio como um todo.

Não deixe de ler.

Para não perder nenhuma atualização, assine nossa newsletter e receba conteúdos em primeira mão. Para fazer isso basta preencher seus dados no banner “Assine nossa newsletter”, à direita. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *