VÍDEO: A ciência por trás da liderança de alta performance

Publicado em Categoria(s) Alta performance, Carreira, Gestão Comercial, Liderança
Três coisas em comum entre quem é apaixonado pelo seu trabalho

Há algumas semanas publicamos um artigo para comentar as descobertas científicas de Jim Collins a respeito da liderança de alta performance. Collins, que é um dos pensadores mais relevantes no mundo quando o assunto é gestão, baseou suas pesquisas na identificação e na comparação de características comuns às empresas de capital aberto que tiveram crescimento, perenidade ou falência.

Por meio de seus estudos e livros, ele apresenta um retrato preciso sobre quais são os caminhos comprovados dos executivos e das empresas que conseguiram – realmente – atingir a alta performance de forma sustentável e longeva, revelando as principais armadilhas deste processo. Em meio a outras descobertas, Collins entendeu os elementos em comum entre os executivos da curva A – os top performers.

A ciência por trás da liderança de alta performance

O resultado mais surpreendente da pesquisa, baseada em estudos científicos feitos com líderes de empresas do S&P500, que reúne as maiores empresas dos Estados Unidos, é que ele contrapõe o senso comum a respeito do que caracteriza um líder de alta performance.

Entenda a ciência por trás da liderança de alta performance

Collins resumiu líderes de sucesso em apenas dois aspectos. E é sobre isso que Rodrigo Sahd, nosso general manager, fala neste vídeo:

Assista e aproveite para se inscrever em nosso canal. Por lá, iremos publicar análises e reflexões a respeito de temas ligados ao mercado de recrutamento e seleção de área comercial e alta performance.

Leia também

Esse é o artigo que originou o vídeo:

A mais importante (e ignorada) característica da liderança de alta performance

3 comentários em “VÍDEO: A ciência por trás da liderança de alta performance

  1. Excelente análise, hoje vejo que muitos líderes se preocupam com o resultado a qualquer custo, sem analisar o todo.
    As pessoas que analisam de forma total o resultado para mitigar erros futuros, e ter resultados consistentes são descartados para pessoas menos analíticas que entregam resultados que não se sustentam causando sérios prejuízos.
    Outro fator que destrói um profissional e o tamanho do ego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *